Junior Cigano retorna ao octógono no dia 14 de abril, contra Ben Rothwell, na Croácia. Treinando na American Top Team desde o segundo semestre do ano passado, desta vez ele terá em seu camp o auxílio de seu mentor, o professor de boxe Luiz Dórea, o que não teve em sua luta mais recente, em dezembro do ano passado, quando foi nocauteado por Alistair Overeem.

Em entrevista ao PVT, Dórea contou que já está de malas prontas para viajar ainda esta semana para a Flórida, onde fica a American Top Team. Além disso, ele também avaliou o que faltou para Cigano em suas últimas duas lutas e o que deve fazer para trazer de volta o estilo que consagrou o ex-campeão dos pesos pesados.

- O Cigano tem muita habilidade em chutes, em wrestling e em jiu-jitsu, mas o carro-chefe dele é o boxe. Ele treina todas as artes, mas ele tem que estar com o boxe nivelado. Infelizmente, há alguns anos, ele não treina mais boxe como treinava antes. Nesses longos 10 anos comigo na academia Champion, Cigano treinava boxe de segunda a sábado, independentemente de ter luta ou não. Cigano virou um especialista em boxe sem nunca ter lutado boxe, na academia. Temos na Champion vários campeões mundiais de boxe e o Cigano treina de igual para igual e superando nossos campeões nas categorias mais pesadas. Cigano sempre levou a essência do boxe para o MMA”, destacou. “Entendo que neste momento ele está buscando novos treinos, como quando ele foi para o Rio treinar com o professor Dedé (Pederneiras) em uma das melhores academias do mundo, mas uma academia especializada em jiu-jitsu, então ficou sem treinar boxe para priorizar outras artes, assim como está agora na ATT, que também é uma das melhores equipes do mundo. Mas ele não pode deixar o boxe de lado, foi o que fez ele ser campeão do mundo.

Batendo na tecla de que Junior Cigano deve priorizar mais a nobre arte do que qualquer outra modalidade, ele cita o especialista em jiu-jitsu Demian Maia, quem já treinou durante um tempo.

- A movimentação do Cigano é acima do normal para um peso pesado. O que devemos fazer? Estimular essa habilidade natural de Cigano para ele voltar a se mover e golpear com velocidade. Não pensem que o Cigano só treinava boxe. O Cigano sempre treinou todas as artes marciais, como o Demian Maia, que treina tudo mas a sua prioridade é o jiu-jitsu, é seu carro-chefe. O Cigano não vai virar um lutador de jiu-jitsu hoje, ou de wrestling, mas ele defende bem queda e é faixa preta de jiu-jitsu de Yuri Carlton, mas ele se sente seguro quando o boxe está bom. Vale lembrar que ele bateu no Shane Carwin, que é um bom wrestling, e surpreendeu com duas quedas. Ele derrubou um wrestling. Tirando o Cain Velasquez, ninguém conseguiu colocar o Cigano para baixo.

Ao avaliar a atuação do brasileiro contra Alistair Overeeem, Luiz Dórea apontou a insegurança como um dos fatores determinantes para o mau resultado.

- Desta vez vou estar do lado dele para estimular a sua habilidade. Não vamos deixar de treinar jiu-jitsu, nem wrestling e nem muay thai, mas vamos priorizar a trocação, que é o que ele faz de melhor. O que aconteceu contra o Overeem? A trocação, mas ele ficou sem a distância. Na Bahia ele fazia escola de boxe adaptada para o MMA para ganhar a noção de distância. Depois da luta do Overeem ele me confessou que estava sem a distância. Por que? O carro-chefe dele é o boxe, e como não estava seguro, não conseguiu impor contra o Overeem.

Contra Ben Rothwell, que vem de quatro vitórias consecutivas, incluindo nocaute sobre Overeem e finalização sobre Josh Barnett, Dórea acredita que pode ser o início da caminha de Junior Cigano rumo à reconquista do cinturão dos pesos pesados.

- Acredito que o Cigano ainda seja um dos melhores do mundo, e acredito mais: ele vai voltar a conquistar o cinturão. Cigano é determinado, vem de origem humilde e está acostumado com dificuldade e superação. Nessa luta na Croácia eu creio que o Cigano irá mostrar outra cara, vamos resgatar suas origens para ele usar a sua habilidade natural junto com as outras artes marciais, mas tendo o boxe como carro-chefe. Se Deus quiser ele ainda vai voltar a disputar o cinturão, mas é passo a passo. Primeiro passo é encarar esse grande atleta que é o Ben Rothwell, que é duro, forte e completo, mas vamos trabalhar nos pontos vulneráveis que ele tem. Confio muito no Cigano, ele nasceu para ser lutador, ele é destemido. Ele usando o que sabe, não tenho dúvida que vai voltar a vencer de forma bem clara, buscando o nocaute.

fonte: portaldovaletudo.uol.com.br

 

 

Postado por ATB    08/03/2016 em Curitiba-PR

todas notícias

Av. Presidente Affonso Camargo, 2849 | Cristo Rei, Curitiba-PR (BRA) | +55 41 3079 1001 | +55 41 99505 6039 | contato@thaibrasil.com


© 2017 Academia Thai Brasil. All rights reserved | Design by Grupo Voxx